05 nov

Bistrô Primitivo, um italiano escondido em Copacabana

por Renata Monti
Lasanha à bolonhesa. Foto de Renata Monti

Se você quer um lugar tranquilo para comer em Copacabana, o bistrô Primitivo pode ser uma boa alternativa. Escondidinho na Constante Ramos, num salão pequeno e intimista, com 26 lugares, a casa italiana é de um dos antigos sócios do famoso D’Amici, no Leme. Só que com preços mais camaradas. O ambiente é agradável, sem qualquer ostentação. Fiquei curiosa com o vidro fumê, que separa a cozinha minúscula do salão.

O cardápio enxuto, com poucas e boas opções, traz desde sopas, saladas à massas artesanais. Na seção de antepastos, trio de bruschettas (R$ 32), caponatta (R$ 29), mini nhoque frito (R$ 29) e o carpaccio de carne (R$ 48) dão as boas vindas aos clientes. Para quem quer pegar leve antes de partir para as massas, a salada caprese (R$ 29) ou na Della Casa, com figo, presunto de Parma e mozzarella de búfala (R$ 38), estão entre as alternativas saborosas.

Ravióli recheado de abóbora ao molho de manteiga e aspargos. Foto de Renata Monti

Como queríamos provar as massas, ficamos apenas com o couvert de pães artesanais regados no azeite Esporão. Apostei no ravióli di Zucca (R$ 51), cujo recheio é de abóbora, ao molho de manteiga e aspargos crocantes. Logo na primeira garfada, achei a combinação um pouco doce, mas com a adição do queijo parmesão derretido, ficou perfeita. Fiz boa escolha.

A querida amiga Ana, que almoçava conosco, apostou no peixe ao Primitivo, acompanhado de risoto (R$ 70). Ganhei uma provinha e sinceramente achei acima da média. A carne tinha suculência, sabor e não estava muito salgada. O arroz arbóreo veio ao dente, com caldo perfeito.

Peixe com risoto. Foto Renata Monti

Já Bruno escolheu a lasanha à bolonhesa (R$ 45), muito bem servida. Para quem quer provar outros itens do cardápio, vale a pena dividi-la. Também tirei um naco, mas estava pesada, sem tanta personalidade quanto os pratos anteriores.

A carta de vinhos passeia por rótulos chilenos, argentinos, uruguaios, italianos e portugueses. Ana e Bruno foram de Marquês de Montemor Tinto (R$ 100, a garrafa), da região do Alentejo. Grávida de sete meses, não ouso tomar nem uma tacinha, para não despertar o costume. Embora sem vinho, a experiência valeu a pena. Voltarei ao Primitivo sempre que precisar de um refúgio na tumultuada e vibrante Copacabana.

A fachada discreta do pequeno restaurante em Copcabana. Foto Renata Monti

Serviço

Onde: Rua Constante Ramos 93, Copacabana. Telefone: (21) 3497-6754. Aceitam reservas, inclusive nos finais de semana. Funcionamento: Diariamente, do meio-dia à meia-noite. Aceita cartão de crédito.

*Preços correspondentes a outubro de 2018. Não nos responsabilizamos por alterações e preços no cardápio.

 

Comentários