08 dez

Charbon Rouge inaugura na Lagoa

por Renata Monti

Com vista panorâmica para a Lagoa Rodrigo de Freitas, o Charbon Rouge abriu as portas em dezembro de 2017 no Rio. O salão impressiona: são 220 lugares, com pé direito alto, mezanino, teto no formato de ondas, paredes em vidro, varanda, bar e o visual da Lagoa de brinde. Logo na chegada, me encantei com uma frondosa árvore que, felizmente, foi mantida no projeto pelos sócios Wagdy Radwan e Thiago Benoliel (filho de Monique, a banqueteira). Os preços* também são atrativos: em média, gasta-se R$ 150 para entrada, principal e um drinque. Para o Rio e o nível da casa, achei interessante.

Carpaccio de abobrinha com pupunha e cogumelos com queijo de cabra. Foto divulgação Ana Catarina Teles

Mas vamos falar de comida. O cardápio é assinado pelo chef Pedro Pecego, com 20 anos de carreira e passagens pelo Bottega Del Vino, Zuka, entre outros. O carro-chefe são os cortes de carnes finalizados no “char broiler”, um equipamento composto de grelhas que conferem sabor especial aos cortes. Começamos com entradinhas simpáticas para compartilhar, como ceviche vegetariano (banana, manga e caju, com castanhas e lâminas de coco ao molho nikkey), super saboroso e refrescante.

Carpaccio de filé-mignon curado. Foto divulgação Ana Catarina Teles

Partimos para o carpaccio de abobrinha com pupunha (R$ 22), ceviche de peixe branco, lula e camarão marinados no molho de leite de tigre, cebola roxa, coentro e pimenta dedo de moça. Acidez perfeita, sem perder o sabor. Um grande destaque foi o carpaccio de filé-mignon curado em sal de ervas, cebola roxa, aspargos e azeite de carvão. Saboroso e surpreendente. Quem adora steak tartare não pode deixar de provar o clássico  filé-mignon picado na ponta da faca. Vem acompanhado de batata canoa que faz “croc” ou salada verde.

Os cortes são assados em grelhas especias. Foto divulgação Ana Catarina Teles

Depois de tanto experimentar as entradinhas, que valem a investida, partimos para a carne. Mas fizemos assim: pedimos um único corte para dividir para quatro pessoas. E deu super certo. Primeiro, o chef trouxe o corte inteiro de ancho waygu (retirado da parte dianteira do contra filé) para a mesa, mostrando como era farto. E, em seguida, serviu em pedaços como um naco de sashimi, numa louça vertical. Achei super bacana a apresentação, mas o sabor… hummm! Espetacular.

Então, para os carnívoros a minha dica é: coma menos entradinhas para apreciar melhor as carnes. As guarnições são servidas à parte, como arroz de brócolis, batata assada com provolone, bacon e molho de queijo, legumes grelhados, entre outras.

O bar com jardim vertical e drinques de Tati Soares. Foto divulgação Ana Catarina Teles

O Charbon Rouge também não deixou a desejar no quesito bebidas. Para quem adora drinques, a carta é assinada pela bartender Tati Soares. O espaço tem um lindo bar com uma obra de Frans Krajcberg em meio a folhagens naturais ao fundo. Dali, dá para pedir drinques clássicos e apreciar o vai e vem na Lagoa.  A sommelière Gabriela Teixeira (ex- Bottega Del Vino) sugere rótulos do Novo e Velho Mundo no valor de até R$ 500.

SERVIÇO:

Charbon Rouge

Av. Borges de Medeiros, 829 – Lagoa, Rio de Janeiro. Telefone: (21) 97676-7998.

Horário de funcionamento: Aberto todos os dias. Quarta a sábado, das
11h à 01h. Domingo a terça, das 11h à 00h.

*Média de gasto: R$ 150 por pessoa (uma entrada, um principal e um drinque). Preços válidos para dezembro de 2017. Não nos responsabilizamos por alterações nos cardápios.

 

 

Comentários